• Pinto Machado

JUSTIÇA DO RIO ACEITA PEDIDO DE RECUPERAÇÃO JUDICIAL DA USINA CANABRAVA

Foi deferido o pedido de recuperação judicial do Grupo Nova Canabrava, do qual faz parte a usina de etanol Canabrava.

Foi determinado que fossem suspensas todas as ações e execuções contra as empresas Portopar Bioenergia, Álcool Química Canabrava, Canabrava Agrícola e Canabrava Energética, que compõem o grupo.

Além disso, o administrador judicial nomeado para o caso, determinou que as requerentes passem a usar em seus documentos a expressão "em recuperação judicial". As companhias também deverão apresentar contas demonstrativas mensais enquanto durar a recuperação judicial, sob pena de destituição de seus administradores.

O grupo alega que gera empregos, qualifica mão de obra e fomenta pequenos e médios produtores, mas que o setor sucroalcooeiro enfrenta uma grave crise.

Segundo as empresas, um conjunto de fatores, como o aumento dos custos de produção devido à mecanização da colheita e a seca de 2014, levou à queda de receita e ao aumento dos custos de produção.


Fonte: CONJUR





0 visualização0 comentário