• Pinto Machado

POR QUE AS AÇÕES DERRETERAM 25% APÓS A APROVAÇÃO DO CADE?

Desde que foi aprovada a venda da Oi Móvel pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômico) para Vivo, TIM e Claro, as ações ordinárias da Oi acumulam queda de 25%.

A confirmação do negócio, uma das maiores reestruturações de empresas do Brasil, era tida como essencial para a companhia sair do atoleiro, além de significar um gatilho de alta para os papéis.

Porém, até o momento, isso não ocorreu.

Na sexta, a B3 autorizou a Oi a negociar suas ações abaixo de R$ 1, as chamadas penny stocks, por mais três meses, o que mostra a dificuldade da empresa em firmar o preço de seus papéis.

Entre os fatores lembrados pelos analistas está a própria aprovação do Cade.

Na sessão, o sinal verde foi dado por quatro votos favoráveis e três contrários, em votação considerada apertada. O voto de minerva ficou a cargo do presidente do conselho, Alexandre Cordeiro.

“A venda foi aprovada, mas com muitas restrições. E foi por um placar bem apertado. Isso assustou um pouco o mercado, deixando-o cético quanto aos desdobramentos. A aprovação já estava precificada mesmo antes da assembléia. A discussão era na forma e com quais condições seria aprovada a venda. E as condições desagradaram o mercado”, argumenta o head de renda variável da Vitreo Marcel Andrade.


Fonte: MONEY TIMES





0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo