• Pinto Machado

VENDA DO MAKSOUD ESTÁ LIGADA A COMPRADORES

O administrador judicial que supervisionou o processo de venda do hotel Maksoud Plaza atuou em pelo menos duas ocasiões como advogado dos compradores do prédio e de seus familiares.

Oreste Nestor de Souza Laspro foi nomeado em 2020 administrador judicial no processo de recuperação judicial do icônico hotel paulistano. Nessa função, ele auxilia na condução da ação judicial e fiscaliza o cumprimento das etapas da recuperação, de modo a garantir que a empresa consiga se viabilizar novamente.

O hotel fechou as portas na manhã do dia 7 de dezembro, após 42 anos de funcionamento. O anúncio pegou trabalhadores e hóspedes de surpresa.

Na função de administrador da recuperação judicial do Maksoud, ele também foi chamado a dar um parecer em um incidente - um tipo de processo paralelo ao da recuperação judicial, ligado ao principal - que terminou com um acordo pela conclusão da venda do prédio.

Nesse procedimento, os interessados no acordo pela conclusão da venda eram Jussara e Fernando Simões, os irmãos que arremataram o prédio do hotel em um leilão na Justiça do Trabalho em 2011. Uma sucessão de discordâncias dos termos da arrematação vinha impedindo que eles tomassem posse do imóvel.

As ligações de Laspro com a família dos compradores são pelo menos duas. Em 2015, ele atuou como advogado de Fernando Simões, da JSL e da Simpar em um processo de arbitragem concluído em 2017.

Esse procedimento correu na Justiça de São Paulo de maneira sigilosa e é criticado pelos herdeiros do Maksoud que, assim como os credores, não participaram da mediação.


Fonte: YAHOO FINANÇAS





0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo